sexta-feira, 21 de maio de 2010

Os artistas plásticos se reunir aos domingos na praça da republica em são paulo


Fernando Antonio  os artistas plasticos  Fernando Antonio,Marcelo Losito,ALFREDO MIULER ,luiz Mattos







Viver de Arte – A verdadeira Mágica



Por: Mágico Fabiano


Sempre que me apresento (sou Mágico), o público sempre brinca dizendo que também faz mágica para sobreviver.


Muitos também perguntam: "você vive só de mágica?" Ou "você é mágico, mas trabalha com quê?"


Bem, graças a muito esforço, hoje eu vivo da minha Arte. Então a resposta para a pergunta "dá pra viver de arte?" é, obviamente, sim.


A profissão de Artista, que é reconhecida por lei, não é diferente de qualquer outra. Ser Artista não é diferente de ser Médico, Advogado, ou qualquer outra profissão. É preciso ter vocação, talento e muita dedicação para qualquer atividade que se queira ter como profissão.


Digo isso, pois sempre ouço alguns jovens dizerem que vão escolher a profissão "x" porque gostam ou porque vão seguir o caminho do pai ou da mãe. É compreensível que pais bem sucedidos em suas profissões queiram que seus filhos sigam os mesmos passos, afinal muitas das dificuldades iniciais de qualquer área já não seriam obstáculos tão difíceis de serem superados. Todos sabem ou imaginam o custo de montar uma clínica, um consultório ou uma oficina mecânica.


Imaginem, então, quando um jovem nessas condições diz para os pais que quer ser Artista.


Já ouvi muitos casos de jovens que se revoltam e chegam até a sair de casa perante a não aceitação dos pais em relação à sua escolha.


Quando optei por ser Mágico não precisei passar por isso, pois já tinha idade e independência para não precisar pedir aos meus pais. Minha atividade começou como hobby e uma série de fatores me levaram a escolher essa maravilhosa Arte como meio de vida.


Entendo muito bem o receio dos pais, pois também sou um deles. O jovem pode achar que a "vida de artista" é cheia de glamour, festas, garotas e garotos. E, claro, a profissão do seu pai ou sua mãe é aquela coisa chata com a qual ele convive no seu dia-a-dia. Todos sabemos que "o que os olhos não vêem o coração não sente" ou que "a vida do meu vizinho é bem melhor do que a minha".


Toda profissão tem o seu glamour e os seus dissabores. Como você quer que seu filho siga a sua profissão se você passa a ele diariamente apenas os dissabores dela? Repare bem em suas atitudes e veja se você reclama mais do que demonstra satisfação.


O jovem se espelha naquilo que vê. E eles vêem artistas ganhando dinheiro e vivendo na "badalação". Não sabem, talvez, que a Arte exige estudo, dedicação, investimento, disciplina além de conhecimentos de marketing, vendas e relacionamento interpessoal.


Como contornar, então, a decisão de um filho em relação à decisão de ser artista? Principalmente se você não o é? Ora, deixe-o ser artista! Mas por que não estudar arte paralelamente com uma outra atividade? Um curso técnico ou mesmo uma universidade? Que tal um curso de teatro ou música à noite e um curso técnico pela manhã? O aprendizado é a única coisa que ninguém consegue nos tirar. Quanto mais, melhor. Não há mal nenhum em ser um artista formado em direito. Aliás, conheço muitos mágicos que são médicos, dentistas e advogados. Eu mesmo sou engenheiro.


Lembre-se, é possível viver de arte (sem ser famoso), assim como em qualquer profissão, mas por ser profissional autônomo digo que quanto mais eclético melhor.


Boa sorte a todos.


Perfil do Autor



Mágico profissional morando em São Paulo-capital. Atuando na área desde 1997.




(Artigonal SC #2362816)


Fonte do Artigo - http://www.artigonal.com/arte-artigos/viver-de-arte-a-verdadeira-magica-2362816.html

Fernando Antonio



Nenhum comentário:

Postar um comentário